Sábado, 31 de Maio de 2008

Coelho de Sousa: Verba...Verba

 

 

 

 

 

Verba...Verba

 

No mar da fantasia, embarcações
De sonhos carregadas puz ao vento...
E naveguei... De ignotas regiões
Buscava, nauta audaz, descobrimento!

 

 

Sonhava pedrarias aos montões;
Guardar riquezas como um avarento...
Surgiu a tempestade... E as ilusões
Se foram logo todas num momento!


Agora já não sonho... (É evidente
Que a vida não é sonho, é realidade.)
Desmantelou-se a frota da Ilusão!


Que triste marinheiro eu fui!...Somente
Nas ondas se ficou a saudade
A quem voltei fazendo embarcação!..

 

 

 

 

Salamanca 25-X-952

publicado por DSousa às 14:14
linque da entrada | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

Nota sobre o caderno de "Barcelona"

Os poemas de Coelho de Sousa, que o "Álamo Esguio" publicará nos próximos dias, constituem um dos vários cadernos de poemas dos anos 50.
Fazem parte do caderno que, apenas por facilidade de catalogação e porque esse nome figura na capa (como se poderá verificar pela imagem acima), está identificado como caderno de Barcelona.
São de assinalar duas curiosidades.
Alguns destes textos são os originais dos poemas, com igual título ou com alteração do título e com outras alterações formais ou de conteúdo, que foram escolhidos pelo autor para o seu primeiro livro  publicado em 1955,  os "Poemas de Aquém e Além."
A maior parte deles, porém, não foram incluídos nessa escolha.
A outra curiosidade, é que vários deles são datados de Salamanca, onde Coelho de Sousa esteve a estudar em 1952 e 1953.
O mais antigo deles tem a data de 25-X-952. E o mais recente está datado de 18-2-953.
Para além desses poemas de Salamanca, fazem parte deste caderno "Barcelona", os seguintes poemas:
3 poemas datados de 1951 e um datado de 1950, que o próprio autor, mantendo a data de origem, colocou no caderno, depois de outros datados de 52 e 53.
Poemas sem data, mas anteriores à publicação dos "Poemas Daquém e Além";

5 poemas de 1954;
14 poemas de 1955;
 26 poemas de 1956.

Para este mesmo conjunto entrarão ainda, por opção minha, 4 poemas escritos em folhas soltas, portanto, fora do caderno:1 de 1954, 2 de 1953 e 1 de 1955.

publicado por DSousa às 00:21
linque da entrada | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 29 de Maio de 2008

Dionisio Sousa: Mais uma nota explicativa

 

 

 

Os manuscritos dos últimos quatro poemas publicados desde o dia 9 deste mês, (Variações da Tristeza, Vaga Lembrança, Salvé, Senhor és Rei) são simples folhas soltas do espólio de Coelho de Sousa e que, só nos últimos meses, tive oportunidade e disposição para ordenar.
O último deles, Senhor és Rei, é datado de 1951(22-X-951).
Os restantes são do ano de 1950.
Quanto se pode avaliar pelo resultado da ordenação que, até hoje, consegui, do espólio de Coelho de Sousa são os únicos, com os do caderno das "Rimas Dispersas", desses dois anos.
É claro que é sempre de admitir a hipótese de que, entre os numerosos poemas não datados de Coelho de Sousa, se venha, mais tarde, a descobrir um ou outro que possa vir a ser datado desses dois anos.
Mas, não se podendo rejeitá-la de todo, é uma hipótese pouco provável, se exceptuarmos ainda, dois ou três poemas desses anos, que o próprio Coelho de Sousa resolveu intercalar, entre poemas de anos posteriores.
Embora desconhecendo as razões, pareceu-nos de respeitar a ordenação escolhida pelo autor.
Acrescente-se ainda, mais um pormenor curioso.
O poema "Variações da Tristeza" é o único, das centenas de poemas que constituem o seu espólio, que Coelho de Soua assinou com um pseudónimo: Luz Marineve.
Não há, porém, dúvidas sobre a sua autoria, quer pela caligafia, quer pela circunstância de existir em duas versões: a do pseudónimo e uma outra, no envelope de remesssa de uma revista.

Tags:
publicado por DSousa às 00:12
linque da entrada | comentar | favorito
|
Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Coelho de Sousa: Senhor és Rei (II)







 
Senhor és Rei  (I)



 

 

 

E reinarás no lar
E reinarás por sobre as multidões
E reinarás no céu, na terra e pelo mar...
E só de ti virá a suspirada paz

 

Senhor és Rei do amor e da bondade,
Senhor  és Rei da luz e da verdade
Senhor és Rei amável e amado
Senhor és Rei, eu creio, espero e amo
O teu reinado
ao mundo todo aberto
Levado a toda a gente...
 

Senhor és Rei, reinaste e reinarás
Senhor és Rei, bendito e louvado
Senhor és Rei, p'ra sempre, eternamente

 

 

 

 

CS
Seminário Episcopal
Angra,22-X-951

 

 

 

Tags: ,
publicado por DSousa às 14:25
linque da entrada | comentar | favorito
|
Domingo, 25 de Maio de 2008

Senhor és Rei (I)







 
Senhor és Rei  (I)



 

 

 

Senhor és Rei (I)

 

 

 

Prece

 

 

 

Senhor és Rei, eu creio firmemente.
Senhor és Rei, espero o teu reinado
Ao mundo todo aberto,
Levado a toda a gente.

Senhor és Rei, dos reis o mais odiado,
Mas reinarás,embora, eterno amor ardente...

Senhor és Rei, venceste, hás-de vencer.
és Rei dos corações,
E reinarás nas almas.
Só tu és Rei da vida...

 

 

 

 

 

Tags: ,
publicado por DSousa às 14:12
linque da entrada | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

Coelho de Sousa: Salvé







 




Salvé 12. XI. 950



Quantas Primaveras, Quantas
Inda terás que fazer?
Serão muitas? Dez ? Cem ? Tantas,
Tantas, quantas Deus quiser...


Que as graças todas em Deus,
Da sua graça ao abrigo
E as continues no céus.

São os votos dum



amigo
Tags: ,
publicado por DSousa às 00:38
linque da entrada | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Maio de 2008

Coelho de Sousa: Vaga Lembrança (VI e último)







 




Vaga Lembrança (último)


Tomai, Senhor
De versos este rosário.

Vaga e modesta lembrança
Que vos dá o Seminário

Por paga de tanto amor
Tanto carinho e zelo
Do vosso coração de Bom Pastor.


publicado por DSousa às 00:21
linque da entrada | comentar | favorito
|

.

.

.Pesquisar neste blogue

 

.Novembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.Últimas Entradas

. Seis horas antes

. SOBRE A BREVIDADE DA VID...

. Horas antes

. Da cor do gira-sol

. ...

. Logo

. Como a luz...

. Alamo Oliveira: Coelho de...

. O testemunho de Álamo Oli...

. Sacerdote

.Arquivos

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Junho 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

.Tags

. todas as tags

.99counter

<
Add to Technorati Favorites
blogs SAPO

.subscrever feeds