Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

Coelho de Sousa: E não podia calar-se (IV)

DSousa, 13.05.07
   

E não podia calar-se


                (IV)






Oh! Gentes, aplanai vossos caminhos...
Endireitai veredas de paixões...
Sabei que não estais aqui sózinhos,
Erguei bem alto os vossos corações...




Que não se cale a vossa e minha voz!
Eu sei que já nasceu do mundo a vida...
Já se avizinha... está no meio de nós...
E toda a lei será nele cumprida...



Olhai em derredor, que os cegos veem,
Aprontai todo o ouvido para ouvir...
Eis o Cordeiro... Já chegou... aí vem!
Que aos homens bem dissera: Eu hei-de vir!



Eu nada valho, eu nada sou, meu Deus!
Areia do deserto e pouco mais!
Beijar os seus sapatos... rastos seus!
Quem poderá, oh! gente que escutais!



E no entanto, eu vejo que ele chega,
Traz no olhar o lume do amor,
E vem como o cordeiro para a entrega,
do sacrifício a  Deus, Nosso Senhor...





Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.