Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

Inéditos de Coelho de Sousa

DSousa, 09.04.06

csousaproc1166x360a1.jpg

Tenho hesitado muito em trazer a público, mesmo que não em publicação escrita tradicional, alguns dos inéditos de Coelho de Sousa. Esta hesitação liga-se com a ideia, que sempre alimentei, de o fazer nas melhores condições possíveis de decifração, interpretação, enquadramento biográfico e publicação.
Começo, porém, a convencer-me que, muito dificilmente, conseguirei reunir simultaneamente essas condições ideais.
Por isto mesmo, vou começar a trazer hoje a este "álamo esguio", alguns inéditos de Coelho de Sousa.
São, todos eles, poemas muito breves.
Uns completos, outros não.
Provavelmente, nenhuns revistos pensando em futura publicação.Embora, quase todos, com numerosas correcções, ao contrário do que é habitual no autor.
Estão escritos num caderno escolar, sem linhas, de folhas não numeradas, em número de cerca de uma centena.
Trinta e uma delas contêm poemas, escritos sempre na página da direita.
Havendo ainda 4 folhas com um poema de sabor popular sobre o São João (São João dos Namorados) escrito, possivelmente, para uma marcha da freguesia da Feteira, integrada nas Sanjoaninas de Angra. Pelo conteúdo dos poemas e até pela caligrafia, muito irregular e subindo na página, deduz-se que pertencem a um período muito difícil da vida do autor, em que, por graves motivos de saúde, Coelho de Sousa esteve internado no Hospital de Angra.
Pode dizer-se que, em muitos destes poemas, provavelmente, dos finais dos anos 70, antes da sua deslocação ao Canadá e aos Estados Unidos(deslocação que deu origem às crónicas que coligiu e publicou, em 1983, "Na Rota da Emigração Amiga") CS revive as temáticas e clima psicológico, atormentado e sofrido, do seu primeiro livro de poemas (Poemas de Aquém e Além)
Curiosamente, os "Poemas de Aquém e Além", também, se seguiram a uma fase de doença, que, nos anos 50,  obrigou Coelho de Sousa a interromper a frequência da Univesidade de Salamanca.
Destas adversidades da vida ficaram os poemas. 

No caso destes inéditos, escritos no caderno de "exercícios nº 50", para "uso escolar", com esta capa.


 inedcapa.jpg











Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.