Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

Coelho de Sousa: Mar Azul

DSousa, 02.10.09

 

 


Atenção: Mais páginas de poesia no
padrecoelho.googlepages.com/

 


 

 


 




 

 

 

Mar  Azul

 

 

Porque há-de ser sempre azul

O mar que tenho diante?

Dizem que o azul é ciúme

De algum amor inconstante.

 

Pois será que o mar amou

Com tal força ou denodo

Que se ficou todo azul?

E não tem mais cor ou modo.

 

Bravo ou manso: Oh! mar azul

Esse bramir é queixume

Que fazes de encontro à terra

devorado pelo ciume?

 

Tanto beijo deste às praias

Que as ias todas comendo...

Teu amor foi vendaval...

Fosses calmo e não horrendo...

 

Por isso a terra jurou

Dar ao sol o seu amor

E tu morres de ciume

Mar azul, sem outra cor!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.