Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

A Apreciação de Orlando Bretão

DSousa, 26.11.05

A DANÇA SOBRE A VIDA DE S. SEBASTIÃO


 O autor, Manuel Coelho de Sousa, nasceu a 30 de Setembro de 1924 na Vila de S. Sebastião e faleceu em Angra em 1995.


Sacerdote católico, poeta, orador sacro de grande nomeada, jornalista (Director de A União), homem de grande sensibilidade e genuíno empenhamento sócio-cultural, o Revº Coelho de Sousa escreveu vários textos para teatro e, pelo menos, dois para teatro popular de rua: esta Vida de S. Sebastião e As 9 Ilhas dos Açores, a que chamou “Ranchinho Carnavalesco”.


O texto agora publicado consta de um caderno de 14 folhas A4 dactilografadas e foi-me entregue pelo Sr. Manuel Marfins Alves, actor amador do Grupo “O Vila” de S. Sebastião.


Assisti, em 1983, a duas exibições desta dança: uma no adro da Matriz de S. Sebastião, com imenso público, resultando o espectáculo magnificamente.


A dança tem dois mestres e toda a movimentação das alas é verdadeiramente espectacular.


A segunda exibição vi-a, também em arena, no rink de patinagem de Angra.


 O realizador Domingos Monteiro, da RTP, filmou a apresentação em S. Sebastião incluindo-a (em parte) num vídeo sobre Teatro Popular na ilha Terceira no qual também colaborei.


Das várias centenas de danças a que assisti considero esta uma das mais bonitas e melhor conseguidas.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.