Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

SOBRE A BREVIDADE DA VIDA

DSousa, 13.11.14
SOBRE A BREVIDADE DA VIDA

Passagem de um sermão do P.e Coelho de Sousa pregado em 1951, depois do sismo que abalou a Terceira em 29.12.1950

Era 14 de Janeiro, aquele domingo escuro. Duma atmosfera densa de pesadelos… em que Angra fora por 6 vezes abalada.
Estava eu em S. Sebastião. O eco dos acontecimentos repercutia-se medonho, acabrunhante. Enriquecido de circunstâncias irreais, pintara-se da cor da morte em muitas almas temerosas…
Foi então que ouvi este desabafo, natural, oportuno e certíssimo, da boca dum jovem amigo:
“Ah! O que é a nossa vida! Um punhado de preocupações e medo! Não vale nada. É tão breve… É como aquela ribeira que ali corre, apressada a caminho do mar da eternidade!”
- É verdade meu amigo.
Caía a noite. Íamos para a velha matriz. À entrada despedimo-nos na frase feita dum adeus se Deus quisera.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.