Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

Coelho de Sousa: As saudades

DSousa, 19.06.09

 

 


Atenção: Mais páginas de poesia no
padrecoelho.googlepages.com/

 


 

 


 





 

 

 

 

As saudades vão e vem

No correio do amor.

Que as saudades do meu bem

Já não cabem no vapor.

 

 

São do tamanho do mar

São tantas como as marés

Ninguém as pode contar
Mas por elas sei quem és

 

 

Tantas saudades eu tinha

Tantas saudades eu tenho.

A saudade será só minha

Para ter este tamanho?

 

 

Saudades de tudo e todos

Saudades sem terem fim

Eu não sei com estes modos

Se haverá saudade assim

 

 

Não há nuvem nem vento

Que me leve esta saudade

Espinho doce e tormento

 De ser quem sou de verdade

 

 

Acredita, esta verdade.

Meu amor, eu morreria

Se matasse a saudade

Que tenho de ti, Maria.