Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

ÁLAMO ESGUIO

Tributo à memória e à obra religiosa, artística e cultural do P.e Manuel Coelho de Sousa (1924-1995), figura cimeira da Igreja e cultura açoriana do século XX, como padre, jornalista, poeta, professor, orador, escritor,dramaturgo e animador cultural

Coelho de Sousa: Variações da Tristeza

DSousa, 09.05.08








  Variações da tristeza


A vida já me  pesa de cansaço
Seu fio, bem queria fosse morto.
Até nos versos duros que inda faço
Nada parece bem...Tudo anda torto!

Eu sinto-me abstracto, meio absorto
Em nevoeiros densos que no espaço
Deste jardim de dores - o meu horto -
Se acumularam negros,  o peito lasso

Há muito que deixou o coração
Dilacerado, aflito, ir-se embora...
Já não me importa a vida, pois agora


Anda comigo um corpo em corrupção.
Também fugiu a alma de enojada
Sou um cadáver. Já não valho nada.





Coelho de Sousa: Soneto

DSousa, 07.05.08






SONETO

Quando tudo no mundo, alegre, ri e canta
Eu sinto dentro de mim vontade de chorar.
Queria ser alegre, mas a vontade é tanta
Que sem chorar não passo, menos sei cantar!

Oh! Deus cuja bondade é infinita e santa
Não sou igual aos outros, não, ouso afirmar
Não sou melhor. Por ser pior isso me espanta.
Mas só a culpa é minha. Não posso a vós culpar.

Melhor do que eu, sabeis porque a tristeza vem
Morar dentro mim e logo chorar faz
Estes errantes olhos, tristes pecadores.

É que eu ousei perder da vossa graça o bem
Troquei pela desgraça o dom da vossa paz
Desprezei o vosso amor querendo outros amores.